segunda-feira, 19 de julho de 2010

Crónica de fim de férias I ou as 1ªs questões

Para chegar ao meu local de férias inicial vi-me obrigada a viajar de avião - o medo, o terror, o pânico! E fui para onde? - perguntam os caros leitores- Para a Madeira *pôr smile aqui*
Ora viajar para a Madeira numa companhia low cost é tipo apanhar a camioneta da carreira ali para Chanfana de Baixo. Toda a gente se conhece, levantam-se e andam para trás e prá frente para falar ao Joaquim, perguntar pela tia Gertrudes e fazer uma festa ao Joãozinho - um stress para os meus nervos.
Chegando ao destino fazem o quê? Batem palmas à aterragem do piloto!! Dúvida: se o homem não conseguisse aterrar e nos espetasse no mar faziam o quê?vaiavam-no?? "Búúúú, não vales nada, vai mazé trabalhar numa rulote!"
Saindo do avião descobrimos um dos passatempos funchalenses: ver aviões. Eram dezenas de pessoas debruçadas na varanda do aeroporto a olhar a pista. E assim passam a tarde.

No caminho para a capital madeirense faço nova descoberta - os motoristas de autocarros são loucos. Ia colada ao banco, em terror, enquanto ultrapassávamos tudo e todos, com direito a sinal de luzes para sairem da frente. Claro que foi uma das viagens mais rápidas da minha vida e fomos simpaticamente deixados na nossa paragem, junto à Pensão Estrela lá do sítio - o nosso destino para aquela noite

amanhã continua


4 comentários:

Luís Maia disse...

É isso tenho horror a férias de pobre

A tia gertrudes levava pastelinho de bacalhau ?

lolita disse...

Boas férias

cexy disse...

Luis , acho que não levava. Mas não garanto (foi só viagem de pobre..as férias foram normais :P

Lolita..já foram :(


****

F. Otavio M. Silva disse...

UM estilo próprio e irreverente... Adorei!

dá uma passada no meu blog depois, ok?
http://otaviomsilva.blogspot.com/

Forte abraço.